Empresas se debruçam no desenho de estratégias de internacionalização

A 3ª oficina de mentoring de ICV Global trouxe orientações às MPE participantes quanto à estratégia de internacionalização, olhando para questões como canais de comercialização, design, comunicação e propriedade intelectual e patentes 22/08/2016
COMPARTILHE

Oficinas de julho concluíram a fase de mentoring do 2º ciclo do projeto ICV Global
Local FGV-SP, São Paulo/SP; JUMP Brasil, Recife/PE
Data: 19-20 e 26-27 de julho de 2016 Projeto: Inovação e Sustentabilidade nas Cadeias Globais de Valor (ICV Global) Participantes: Representantes das empresas participantes do 2º ciclo de ICV Global Apresentação: Ana Coelho e Paulo Branco (GVces); Hanna Welgacz e Priscilla Negreiros (Apex-Brasil);
Ana Brum (Centro Brasil Design); Alexandre Lourenço Lopes (INPI); Philippe Lisbona (consultor GVces)
Texto: Bruno Toledo (GVces)
Fotos: Roberta Boccalini (GVces)

Com oficinas em São Paulo e Recife, o projeto Inovação e Sustentabilidade nas Cadeias Globais de Valor (ICV Global) concluiu em julho passado a primeira fase do processo de capacitação para internacionalização de micro e pequenas empresas com atributos de inovação e sustentabilidade em seus produtos e serviços.

Nesta primeira fase, de mentoring, os empreendedores tiveram uma imersão nos temas da sustentabilidade, enfocando as oportunidades de criação de valor e o posicionamento estratégico e diferenciado junto a mercados importantes para os seus produtos e serviços. Em três encontros realizados na Fundação Getulio Vargas de São Paulo e na JUMP Brasil (aceleradora do Parque Tecnológico Porto Digital de Recife), os participantes receberam informações e ferramentas importantes para viabilizar uma estratégica consistente de internacionalização de seus negócios.

O primeiro encontro, realizado em maio, teve como objetivo conhecer e diagnosticar a estratégia de posicionamento das empresas em mercados internacionais de interesse, com cada empresa apresentando seu portfólio e seus interesses potenciais de internacionalização. Já a segunda oficina, realizada no mês seguinte, apresentou os resultados de um questionário de sustentabilidade desenvolvido pela equipe do GVces e aplicado para compreender o estágio de cada empresa com relação à temática da sustentabilidade em suas práticas de gestão, além de capacitar os participantes em comunicação e materialidade.

O terceiro encontro, realizado nos dias 19 e 20 na capital paulista e 26 e 27 na capital pernambucana, teve como objetivo apoiar no desenho das estratégias de internacionalização das MPE participantes, enfocando no aperfeiçoamento do plano de ação da, além de discutir questões como design enquanto diferencial competitivo, propriedade intelectual e patentes e promoção comercial.

Aperfeiçoamento do plano de ação

O plano de ação é uma ferramenta voltada para auxiliar as empresas no planejamento de todas as ações necessárias para que elas consigam acessar mercados externos tendo sustentabilidade como diferencial competitivo. Ele é importante para que as empresas consigam definir dimensões prioritárias da sustentabilidade para o seu negócio e identificar pontos para aprimoramento com foco na internacionalização.

Na oficina, as empresas participantes foram convidadas a revisitar os seus planos de ação dentro do projeto, testando a consistência das ações previstas e considerando o diagnóstico de sustentabilidade feito por cada empresa e as atividades de ICV Global e os serviços da Apex-Brasil que poderão servir para apoiar a implementação dessas ações.

ICV Global fazendo a diferença para as MPE

Com os insumos e os aprendizados da fase de mentoring, as empresas participantes de ICV Global já percebem o diferencial do projeto no planejamento e na operação de seus negócios não apenas no mercado internacional, mas também no mercado doméstico.

"Está sendo muito rico participar de ICV Global", afirma Flavia Aranha, sócia-fundadora da Flavia Aranha, empresa de moda feminina voltada para pesquisa em tingimento e fibras naturais com valor sustentável e foco na cultura e conhecimento tradicionais. "Com o conhecimento e as ferramentas aplicadas aqui, estamos revendo a própria gestão do mercado nacional pela nossa empresa. O projeto também está nos ajudando no engajamento interno de nossa equipe".

Para muitas das empresas participantes do 2º ciclo de ICV Global, o projeto está revelando aspectos de sustentabilidade em seus produtos e serviços que elas próprias não tinham consciência. "O projeto nos ajudou a enxergar que nossos produtos tinham atributos de sustentabilidade que nem sabíamos que tínhamos, e também nos fez entender a importância de comunicar isso para os nossos clientes", explica Luciane Fornari, diretora-proprietária da Fornari Indústria, que desenvolve tecnologia e maquinário para controle e mitigação de patógenos nos alimentos, em especial na cadeia da proteína animal (frango). "Ter essa noção e ter as ferramentas e o conhecimento que o projeto nos disponibiliza nos permite buscar a exportação de uma forma real e planejada".

O planejamento é um aspecto frequentemente ressaltado dentro do projeto. A internacionalização não pode ser um desejo repentino ou pontual - ela precisa ser fruto de uma decisão estratégica da empresa, sustentada por um planejamento cuidadoso. Com a conclusão do processo inicial de capacitação, muitas empresas já começam a colher os seus frutos.

"Em julho fomos para a Alemanha e já pudemos aplicar estas ferramentas na formação de preço neste mercado. Percebemos que, quando fomos lá no ano passado, tínhamos um preço equivocado, e com o apoio das ferramentas de ICV Global e da consultoria da Apex-Brasil, conseguimos chegar a um conceito de preço muito mais refinado", aponta Flavia Aranha.

Novamente, os frutos não se limitam à internacionalização: muitas empresas estão internalizando essas orientações dentro da sua gestão. "Normalmente, as pequenas empresas não têm conhecimento e acesso a estas ferramentas. A possibilidade aberta pelo ICV Global permite que nossa empresa avance em práticas internas de gestão que são comuns em grandes companhias, como comitês de sustentabilidade - e isso muda o status da nossa empresa no mercado", ressalta Luciane Fornari.

Próximos passos

Com a conclusão da fase de mentoring, as empresas participantes de ICV Global iniciam no final de agosto a fase de aceleração de impacto, que consiste em uma plataforma de aconselhamento que busca preparar as MPE selecionadas para enfrentar as demandas dos mercados internacionais.

Esta etapa será importante para preparar as MPE a participarem de missões comerciais da Apex-Brasil, programadas para novembro de 2016 e abril de 2017. Além das missões, as empresas também participarão de uma rodada de negócios com potenciais compradores estrangeiros facilitada pela Apex-Brasil, programada para junho de 2017.

Mais informações sobre o 2º ciclo de ICV Global aqui.